"Metrópolis" a obra-prima de Fritz Lang


Fritz Lang(1890-1976) foi um dos grandes cineastas do séc. XX, este austríaco caolho dum combate da Primeira Guerra Mundial pode ser encaixado nesta frase: “Era só um olho, mas que olho”. Ícone do Cinema Expressionista, Fritz Lang revolucionou a Arte Cinematográfica de todas as formas deixando um legado para a posteridade.

Filho de arquiteto e estudante inicial de arquitetura também, Fritz Lang realizou inúmeros filmes no cinema alemão, sendo o de maior destaque indubitavelmente: Metrópolis de 1927. Sua visão apocalíptica e crítica diante das grandes metrópoles e a relação dos trabalhadores com o sistema é o cenário desta grande produção. A frase principal que rege esta história é: “O mediador entre a Cabeça e as Mãos deve ser o Coração”, dando um senso de humanidade a desumana e gigantesca metrópole Berlinale em 2010. A relação entre Freder (filho do administrador da cidade) e Maria, aparecem como salvação e redenção, Maria não por menos é a Luz, a imagem Apolínea da história junto com Freder e o Ser-Máquina ou a Androide e seu inventor Rotwang são os destruidores, as trevas as figuras dionisíacas da trama. Numa referência direta a religião, a cidade tem duas divisões. A superfície, é ultra desenvolvida com carros, aviões, metrôs, viadutos e arranha-céus altíssimos, em contraponto as profundezas da metrópoles vive com seus trabalhadores, escravos da evolução, que trabalham incessantemente para manter a tecnologia e mover a metrópole. A simbologia do filme é infinita, o Céu, o Inferno, a Superfície, as Profundezas. A salvação e a destruição, a imagem do Falso Profeta representada pela Androide de Maria são um híbrido da sociedade pós-moderna e visão crítica da exploração e das desigualdades das grandes cidades modernas. Sem dúvida, Metrópolis é um filme obrigatório para qualquer um que intenciona entender de cinema, a produção, o roteiro, a atuação exagerada e as profecias deste filme de 1927, pode ser uma aula de cinema para qualquer diretor de cinema que se prese.

Por que Metrópolis é considerado o precursor do gênero Ficção Científica? Metrópolis anuncia um futuro tenebroso, onde as máquinas serão os verdadeiros algozes da sociedade, manipuladas por pessoas menos favorecidas: a classe operária. Ainda vemos o “robô” com características humanas, fazendo uma analogia entre homem e máquina. Os cenários criados por Lang, mostram uma cidade faraônica  com arranha-céus gigantesco e carros voadores, estes efeitos especiais muito avançados para a época se dá ao fato do diretor ser um arquiteto de formação e dominar o uso de maquetes.

Curiosidades: Fritz Lang saiu da Alemanha com a ascensão do Nazismo, passando por Paris, e finalmente ancorando em Hollywood, fazendo Westerns, filmes Policiais Noir e Suspenses, na década de 50 retornou a Alemanha fazendo seus três filmes derradeiros, a crítica cinematográfica que antes segregava sua carreira como BOA na Europa e RUIM nos EUA, agora se arrependia, tendo que admitir que Frtiz Lang sempre foi um grande diretor, Lang retornou para os EUA no fim da vida vindo a falecer em 1976 em Los Angeles .




Cartaz original do Filme de 1927